Diretor nega desmanche das equipes do Vôlei Futuro

Rumores tomaram conta dos bastidores do Vôlei Futuro nos últimos dias. Na internet, blogs e portais de notícias especulavam a possível desativação da agremiação araçatubense na próxima temporada. A Vôlei Futuro Store, loja oficial do clube, que fica localizada no Ginásio Municipal Dr. Plácido Rocha, foi fechada para reforma e alimentou os boatos. Tudo mera especulação, segundo o diretor do Vôlei Futuro, Basílio Torres Neto.

Em entrevista ao O LIBERAL REGIONAL na tarde de ontem, Basílio disse que todas as providências serão tomadas nos próximos dias e afirmou não ter se manifestado sobre o assunto porque passou a última terça-feira inteira em reunião. “Ficamos sabendo dos boatos no fim da tarde de terça-feira. Me procuraram, mas achei que não deveria responder a especulações sem fundamento. Todo ano nós temos essa indefinição se teremos equipes na próxima temporada ou não. É algo comum isso acontecer e muito complexo. Fazemos balanço da temporada, verificamos a possibilidade do time em conseguir bons resultados e decidimos se haverá um bom investimento ou não, mas estamos confiantes nas negociações e esperamos que tudo dê certo”, afirmou.

Basílio explicou à reportagem que existe um ciclo de negociações e que o projeto depende de cada uma delas. “É um contexto geral que envolve negociação com jogadores, patrocinadores, valores de mercado, tudo. Hoje o mercado está muito inflacionado e temos poucas opções de jogadores tanto na equipe masculina, quanto na feminina. Mas pode ser que amanhã consigamos trazer atletas de ponta, pessoas do bem e com objetivos bons e tudo dê certo”, ressaltou. “Como a temporada para o masculino terminou somente na semana passada, nós tivemos dificuldades em organizar tudo. Ainda estamos negociando com todos os atletas, a permanência de uns, a liberação de outros, mas nada foi definido. Tudo deve se acertar, no máximo, até a semana que vem”, disse o dirigente.

FERNANDA GARAY
Indagado sobre a possibilidade da ponteira Fernanda Garay defender as cores do Sollys/Nestlé, Basílio disse que há a possibilidade da liberação da atleta. “O contrato dela com o clube é de dois anos e está em vigor, porém, eu não posso forçar uma atleta a ficar no clube se não é a sua vontade. Com a criação de outras equipes de ponta como o novo time de Campinas, o Sesi que entrou este ano, o mercado fica muito competitivo, e isso dificulta muito”, afirmou.

O dirigente ainda desmentiu qualquer negociação com as atletas Mari, do Rio de Janeiro, e Dani Lins, do Sesi. “Não tem nada com nenhuma das atletas. Temos que ajustar o patrocinador ainda para depois pensar nos reforços”.

PATROCINADORES
O Vôlei Futuro busca novos parceiros para investir no elenco para a próxima temporada, mas também negocia a permanência de outros. Patrocinadores como a Vigor, Banco BVA e Goodyear estão conversando com a direção do clube para decidir se continuarão com o VF ou não. O mesmo acontece com a Reunidas Paulista, empresa que apoia o projeto desde o início. “É algo bem complexo. Há toda uma perspectiva, mas ainda tudo será conversado. A Reunidas e os outros patrocinadores não podem querer algo que não sabem o que é. Estamos trabalhando para poder oferecer um planejamento para a próxima temporada”.

OUTROS
A reportagem informou ao dirigente sobre a comoção do central Gustavo, atleta da Seleção Brasileira, através do Twitter, ao saber da possível desativação do clube. “Gustavo é um cara do bem, ele tem o dom de mudar a característica do grupo, além de ser um jogador excelente. Agradecemos muito em ter esse tipo de pessoa no voleibol”, disse Basílio. Apesar dos elogios, o dirigente afirmou que não há negociação com o central e nem com o ponteiro Giba. “Trazer um jogador como o Giba exige um estudo grande, com bons patrocinadores e muita análise de mercado. Ainda não sentamos para conversar com nenhum dos dois atletas”.

Sobre Ricardinho, ídolo em Araçatuba e principal jogador do elenco, o dirigente manteve o otimismo em manter o jogador no elenco. “O Ricardo é um grande jogador, sempre disse a todos que está feliz aqui e quer continuar. Ele tem propostas de muitas equipes, mas queremos que ele fique e vamos trabalhar para isso”, finalizou.

FONTE: jornalista Kaio Esteves do jornal O Liberal.

2 thoughts on “Diretor nega desmanche das equipes do Vôlei Futuro

  1. Infelismente Rafael é isto mesmo que acontece no Brasil os patrocinadores querem ser vistos nos meios de comunicaçao e a dona globo nao deixa e dá no que dá

    Gostar

  2. Sou morador de Osasco e torcedo do Sollys, claro, mas fiquei muito triste quando soube desse boato sobre a não continuidade do projeto do Vôlei Futuro. Espero que seja somente boato mesmo.
    Mas no Brasil é complicado, principalmente para equipes de ponta, que tem um folha salarial alta. As empresas que patrocinam essas equipes querem ver sua marca em evidência, mas por aqui o esporte não tem tantas vitrines.
    Somente aqui a final de um campeonato é realizada às 10h, em jogo único e em local estabelecido. A Globo detém os direitos de transmissão da Superliga, mas não dá o merecido destaque em sua programação.
    Um dia antes da final da Superliga Feminina não se viu quase nada na programação. A conquista do título rendeu uma matéria de apenas 1 minuto e meio no Jornal Nacional.
    A culpa disso tudo é da CBV que se vende para a Globo. O Brasil AMA vôlei, mas fica complicado desse jeito.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s