Vôlei Futuro feminino perde no 5º set

No Praia Clube em Uberlândia um cenário nada comum para dias de jogos. Atletas se aquecendo em um ginásio às escuras. Faltavam 20 minutos para o início da partida quando uma queda de energia deixou parte da cidade sem luz. Foram 25 minutos de espera. Mais uma aquecida e com uma hora de atraso foi dado o primeiro saque.

Embalado por uma torcida empolgada o Praia Clube recebeu o segundo colocado da Superliga 2011/2012 em uma noite que prometia o melhor resultado para as visitantes. Mas as praianas saíram confiantes do seu modesto sexto lugar na competição e enfrentaram de igual para igual as paulistas. A partir daí foi uma partida sem favoritos. Confiantes e inspiradas nos treinos puxados para barrar o bloqueio do Vôlei Futuro durante a semana o Praia Clube venceu por 3 sets a 2 com parciais de 19/25, 25/18, 15/25, 25/15 e 16/14.

No primeiro set o Vôlei Futuro chegou mandando no ginásio do adversário. O Praia Clube se intimidou e as paulistas abriram três pontos no placar. O técnico Spencer Lee se desesperou e em menos de quatro minutos queimou dois pedidos de tempo para relembrar o que havia treinado durante a semana: imobilizar o bloqueio do Vôlei Futuro. As meninas entenderam a diminuíram a diferença no placar com bons ataques e bloqueios. O Futuro sentiu a mudança de postura das praianas e queimou o primeiro pedido de tempo. Os 1.350 torcedores, que lotaram o G2 do Praia, fizeram pressão. O Praia começou a entender o jogo e empatou, 12 a 12. O Futuro acelerou mais uma vez e abriu quatro pontos, 20 a 16. Mas, enquanto o Futuro abriu 3 pontos, o Praia fez apenas um e se rendeu ao bloqueio das paulistas. O primeiro set ficou em 25 a 19.

Uma jogada de quase um minuto de bola no ar abriu o segundo set. E desta vez, o Praia Clube não demorou como no primeiro set para igualar o placar, 4 a 4. Daí foi ponto a ponto até as praianas conseguirem o primeiro ponto de vantagem: 8 a 7. Com mais uma sequência de pontos para os dois lados o Praia mostrou que definitivamente entendeu o jogo das adversárias. Pegou a manha do bloqueio paulista e abriu quatro pontos. As experientes Fernanda Garay e Paula Pequena perderam o ritmo frente ao clube mineiro. A primeira jogou uma bola de graça na rede e a segunda invadiu a quadra do Praia e perdeu um saque dando mais dois pontos para as praianas. Paulo Coco fez a primeira substituição e pediu tempo: Praia 16 e Vôlei Futuro 12. As mineiras conseguiram ficar à frente, marcaram nove pontos enquanto o Futuro fez seis e o placar ficou em 25 a 18 para as praianas.

No terceiro set o Futuro entrou em quadra sabendo que o Praia estava a par do seu forte bloqueio e ficou atento a isso. Mas por mais que o Praia perseguisse a missão de não ficar atrás no placar a distância só aumentava. Depois do empate em 4 a 4 o Vôlei Futuro acelerou e o Praia cedeu, 10 a 6. Para reforçar a equipe e o delírio da torcida, Elis entrou em quadra. O Praia conseguiu manter ataques e bloqueios fortes, tanto que a distância no placar se manteve em sete pontos. Ao chegar em 23 a 13, Spencer Lee trocou quase todo o time titular pensando no tie-break. Mas o Futuro manteve a diferença de 10 pontos no placar e um ataque da central Andressa fechou o terceiro set em 25 a 15.

O quarto set veio para confirmar o entrosamento das praianas. Nos 26 minutos de partida o Praia se manteve à frente abrindo até 10 pontos de vantagem. A pressão das donas da casa foi sentida pelas paulistas que demonstraram insegurança e cometeram vários erros. Duas infrações fizeram aumentar o placar o Praia Clube, que fez o seu bloqueio imbatível. O set teve o mesmo placar do terceiro, que terminou com dez pontos a mais para o Futuro, só que desta vez invertido: 25 a 15, com vittória das praianas.

Ânimos exaltados e jogadoras com potência total no último set. O Praia Clube abriu dois pontos, o Vôlei Futuro correu, alcançou, mas o Praia conseguiu mais três pontos embalado por uma torcida forte. Até o meio do set o Praia chegou com três pontos à frente, 8 a 5. O Futuro perseguiu, empatou, mas o Praia ficou com a vantagem. Cabeça quente, Juliana perdeu um saque na rede em um momento crucial da partida. Quando fez 14 pontos o Praia perdeu o controle emocional e deixou o Futuro encostar. O time de Uberlândia reagiu, fez o décimo quinto ponto e bateu o Vôlei Futuro em casa com um placar de 16 a 14.

FONTE: blog volei.org – parceiro

One thought on “Vôlei Futuro feminino perde no 5º set

  1. o que estas estas acotecendo no femenino é muito simples , quando nao tem passe as levandoras, nao sabem o que fazer.
    as bolas ficam muito marcadas, elas nao armam as jogadas ai bola se segurança fica muito complicada para virar.
    Já falei paulo coco tem que decedir, que é titular, ana cretina , ou ana tieme mais uma vez vejo que o problema não é passe , pois unilever nunca joga com passe na maõ
    e virar as bola. vamos fazer uma das duas acordar, e mostra volei.
    pena que nao envestiram em fofão seria diferente com certesa.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s